O labirinto sem saída do materialismo ateu

domingo, 5 de julho de 2009
Por Fábio Cezar


Não há como negar a crescente militância ateísta como fato mundial na atualidade. Tal acontecimento passou a tomar maiores proporções, através da divulgação das idéias defendidas pelo biólogo inglês Richard Dawkins.

Em que se apóia Richard Dawkins ao escrever suas teorias pró-ateísmo em "Deus - Um Delírio" (The God Delusion,2006)? Além de Darwin e do conceito de memes (idéias que agem como os genes), seu ponto de partida é a própria incredulidade dos desiludidos com as crenças do mundo, daqueles que, como muitos, se desenganaram com as velhas religiões. É a esses órfãos que as religiões não puderam amparar que Dawkins procura seduzir.

Combatendo as religiões, pode-se dizer que o evolucionismo acabou tornando-se uma nova religião. Richard Dawkins, ao defender o "orgulho ateu", propõe assim a religião da matéria. Pois, o que se pretende mesmo com isso, é deificar a matéria. Pessoas são, então, conclamadas que abdiquem de suas crenças religiosas, acreditando que, para isso, é preciso desrespeitar todas as crenças em Deus.

Richard tem alguma razão ao declarar que a religião alimentou a guerra e fomenta ainda o fanatismo, embora não se possa responsabilizar a religião por isso, e sim o próprio homem. Mas, se equivoca profundamente quando atesta a suposta irracionalidade na crença em Deus. Para um biólogo, bastaria observar a origem e a complexidade na organização da própria vida, naquilo que chamam de "fatalismo" biológico, ou mesmo acaso, em tudo aquilo que não podem compreender o sentido natural da criação e existência.

Para os ateístas, Richard Dawkins é um gênio, porque preenche o vazio que a religião não conseguiu fazê-lo. Entretanto, não há genialidade em quem espera que Deus, um ser espiritual, exista de uma forma concreta, material. É, então, mais fácil desenvolver e divulgar um discurso vazio pronto a negar sua existência, através da dúvida, e não de respostas, a compreendê-lo por meio de suas manifestações naturais, provas irrecusáveis de sua realidade.

O Espiritismo, síntese da religião, da ciência e da filosofia, por sua vez, vai além dos conceitos religiosos, estruturados nos mitos e crenças primitivos, hoje inaceitáveis à luz da lógica e da razão; e vai além também do materialismo, solução encontrada para tudo aquilo que o cientificismo não se pôde entender. Com a compreensão da realidade espiritual como prova da existência do ser depois da morte física e de Deus, toda incredulidade e objeção decai, sem desamparar aqueles que almejam sair do vazio da ignorância e do confinamento no labirinto do materialismo.

Kardec já advertia em O Livro dos Espíritos, questão 604, que "Tudo em a Natureza se encadeia por elos que ainda não podeis apreender. Assim, as coisas aparentemente mais díspares têm pontos de contacto que o homem, no seu estado atual, nunca chegará a compreender. Por um esforço da inteligência poderá entrevê-los; mas, somente quando essa inteligência estiver no máximo grau de desenvolvimento e liberta dos preconceitos do orgulho e da ignorância, logrará ver claro na obra de Deus. Até lá, suas muito restritas idéias lhe farão observar as coisas por um mesquinho e acanhado prisma. Sabei não ser possível que Deus se contradiga e que, na Natureza, tudo se harmoniza mediante leis gerais, que por nenhum de seus pontos deixam de corresponder à sublime sabedoria do Criador.”

A intolerância dos ateus fanáticos - disse Albert Einstein - é igual a dos religiosos fanáticos, pois vem da mesma fonte de origem. "Eles são como escravos que ainda sentem o peso das correntes que jogaram fora depois de muita luta. São criaturas que – em seu rancor contra a religião tradicional como sendo o ‘ópio das massas’ – não conseguem ouvir a música das esferas. O milagre da natureza não torna-se menor porque alguém não pode medi-la pelos padrões da moral e do sofrimento humano." (Arquivo de Einstein, reel 54-927, 7 de Agosto de 1941)

Einstein e Kardec, portanto, concordam entre si, ao verem na ignorância e orgulho dos homens as únicas barreiras para o entendimento Daquilo que não compreendem em sua grandeza.

16 comentários:

Nilton disse...

Cara, foi voce mesmo quem escreveu isso? Estou muito impressionado, fala do problema atual por aqui pela França. Kardec sempre falava que a maior luta não era contrar correntes religiosas, mesmo que certas vezes contrarias ao espiritismo, mas contra o materialismo. Ele parecia prever bem o problema atual da França, que Einstein explica como se estivesse vivido em Paris no ano 2009...

O que sera que vai acontecer em seguida como evento filosofico social?

ARGUMENTO ESPÍRITA disse...

É arriscado por ora fazer previsões, mas vemos todo esse esforço contra a fé espiritualista inútil, pois o homem, em todos os tempos e lugares, sente a necessidade da crença em Deus, em algo além de sua compreensão, puramente materialista. Afinal, o sentido do Progresso não esta em buscar sempre algo além? A certeza na Imortalidade da alma e a Reencarnação justificam todas as supostas diferenças entre os homens e prova o equilíbrio e imparcialidade com que se manifesta a Lei divina.

Anônimo disse...

mas, sendo o espiritismo a uniao entre fé e ciencia, razao e espiritualidade, não deve ao menos entender os motivos de duvida quanto a Deus pelo autor? A ciencia se utiliza de fatos concretos para sua comprovacao.

o proprio espiritismo nega a ressureicao da carne, como é dito pela doutrina catolica, mas afirma a reencarnacao. Como provar que um esta errado e outro esta certo? Se um nao existe, nao é sinal de que o outro exista.


E pq Jesus e a doutrina crista é o alicerce do espiritismo... pq nao foi pego o Alcorao como evengelho sengundo o espiritismo? pq uma unica fonte de inspiracao para uma doutrina que se diz universal?

Fábio Cezar disse...

O Espiritismo também se baseia em fatos concretos. E faz isso através de observações e investigações. Por isso é também uma ciência.
A ressurreição da carne seria a contradição das próprias leis divinas. Deus não se contradiz em momento algum da existência.

Jesus é a base do conhecimento e prática moral para nós do ocidente e que, aos poucos ilumina, o oriente do mundo. Mas não é a única fonte de ensinamentos. Existiram e existem outros missionários do Progresso e divulgadores da Lei.

Anônimo disse...

Sou espirita, mas permaneço com minhas dúvidas em relação a sua comprovação cientifica. Se fosse apenas uma doutrina tudo bem, mas me parece que se quer comprovar a veracidade da doutrina com a suposição da base cientifica.

Não vi nenhum estudo cientifico provando a vida após a morte. Nenhum fato foi comprovado pela ciência. Tudo que existem são indícios, suposições, teorias, raciocínios, deduções lógicas.

Um fato so pode ser dito científico se for comprovado através de testes controlados.

Se a tecnologia atual não permite tal comprovação é outra coisa, mas tudo não passa de suposição. Teoria. Crer é diferente de existir.

Argumento Espírita disse...

Em postagem anterior dissemos e repetimos aqui: "Mais do que palavras e hipóteses, procuremos validar nossos princípios nos fatos que se apresentam. Na ausência dos fatos, a dúvida será sempre a opinião mais prudente."

Argumento Espírita disse...

Sobre o uso da atual tecnologia para comprovação da fenomenologia espírita, recomendamos estudar os experimentos da transcomunicação instrumental. Recomendamos ainda estudar “Espírito: o Desafio da comprovação” (Ed. Elevação). E por que não começar seus próprios experimentos no seu próprio computador, em casa? Os resultados surpreendem!

Argumento Espírita disse...

Alguns exemplos de experimentos com transcomunicação instrumental:

http://www.transcomunicacao.net/audio1.html

nori disse...

Mais de 2.000 casos de reencarnação estudados por cientistas não espíritas e que geraram vídeos feitos pelo Discovery channel. Vejam estes videos no link:
http://espiritismo.ning.com/forum/topics/reencarnacao-historias-de

Fábio Cezar disse...

Maravilhosa contribuição, Nori! Agradecidos!

FLP disse...

Boa tarde, gostaria de saber que quando uma pessoa morre, somente tem dois caminhos, o céu ou a condenação eterna. Pois bem, sabe-se que satanás é o pai da mentira e que segundo a Bíblia, se transfigura em um ser de luz à sua preferência, e também que jaz na Terra, por ter sido expulso do céu. Os espíritos que essa filosofia se diz conversar não seriam então demônios? Por gentileza, me faça um teste durante as suas sessões de invocação pra que este "espírito desencarnado" lhe confesse com estas palavras: EU CONFESSO QUE JESUS CRISTO É O FILHO DE DEUS E VEIO A ESTE MUNDO COMO UM HOMEM, EM CARNE. Caso este ser não consiga, o que é certo, trata-se do espirito do anti-Cristo, e se estás com ele não está com Deus, afinal um servo não pode ter dois senhores.

Anônimo disse...

Por gentileza, me faça um teste durante as suas sessões de invocação peça pra que este "espírito desencarnado" lhe confesse com estas seguintes palavras exatamente: EU CONFESSO QUE JESUS CRISTO É O FILHO DE DEUS E VEIO A ESTE MUNDO COMO UM HOMEM, EM CARNE. Caso este ser não consiga, o que é certo, trata-se do espirito do anti-Cristo, e se estás com ele não está com Deus, afinal um servo não pode ter dois senhores.

Fábio Cezar disse...

Sr. Anônimo, para o Espiritismo, não há condenação eterna. Leia:

"Questão 1006. Poderão durar eternamente os sofrimentos do Espírito?
Poderiam, se ele pudesse ser eternamente mau, isto é, se jamais se arrependesse e melhorasse, sofreria eternamente. Mas, Deus não criou seres tendo por destino permanecerem votados perpetuamente ao mal. Apenas os criou a todos simples e ignorantes, tendo todos, no entanto, que progredir em tempo mais ou menos longo, conforme decorrer da vontade de cada um. Mais ou menos tardia pode ser a vontade, do mesmo modo que há crianças mais ou menos precoces, porém, cedo ou tarde, ela aparece, por efeito da irresistível necessidade que o Espírito sente de sair da inferioridade e de se tornar feliz. Eminentemente sábia e magnânima é, pois, a lei que rege a duração das penas, porquanto subordina essa duração aos esforços do Espírito. Jamais o priva do seu livre arbítrio: se deste faz ele mau uso, sofre as conseqüências."

"1009. Assim, as penas impostas jamais o são por toda a eternidade?
Interrogai o vosso bom-senso, a vossa razão e perguntai-lhes se uma condenação perpétua, motivada por alguns momentos de erro, não seria a negação da bondade de Deus. Que é, com efeito, a duração da vida, ainda quando de cem anos, em face da eternidade? Eternidade! Compreendeis bem esta palavra? Sofrimentos, torturas sem-fim, sem esperanças, por causa de algumas faltas! O vosso juízo não repele semelhante idéia? Que os antigos tenham considerado o Senhor do Universo um Deus terrível, cioso e vingativo, concebe-se. Na ignorância em que se achavam, atribuíam à divindade as paixões dos homens. Esse, todavia, não é o Deus dos cristãos, que classifica como virtudes primordiais o amor, a caridade, a misericórdia, o esquecimento das ofensas. Poderia Ele carecer das qualidades, cuja posse prescreve, como um dever, às Suas criaturas? Não haverá contradição em se Lhe atribuir a bondade infinita e a vingança também infinita? Dizeis que, acima de tudo, Ele é justo e que o homem não Lhe compreende a justiça. Mas, a justiça não exclui a bondade e Ele não seria bom, se condenasse a eternas e horríveis penas a maioria das suas criaturas. Teria o direito de fazer da justiça uma obrigação para Seus filhos, se lhes não desse meio de compreendê-la? Aliás, no fazer que a duração das penas dependa dos esforços do culpado não está toda a sublimidade da justiça unida à bondade? Aí é que se encontra a verdade desta sentença: "A cada um segundo as suas obras."

FLP disse...

Não está na palavra de Deus as tuas colocações, então não sao de nenhum valor.De onde o senhor retira tais argumentos? A condenação eterna foi feita a aqueles que não se arrependem em vida dos seus pecados logo negam o sacrifício de Jesus na cruz do calvário. O Deus a que sirvo é um Deus de bondade mas de justiça também, por isso que constantemente peço perdão usando o nome de Jesus ppr tudo aquilo qur me afasta Dele. Uma vez condenado, não se sai de lá até o fim dos tempos, senão até os próprios demônios se arrependeriam de ter se voltado contra o Senhor e teriam retornado ao céus, quem dirá um pecador, um servo de satanás, longe da graça de Cristo. Vc diz "-...interrogai o vosso bom-senso, a vossa razão e perguntai-lhes se uma condenação perpétua, motivada por alguns momentos de erro, não seria a negação da bondade de Deus...-" eu digo que não existe bom senso, pois senso é discutível é a palavra NÃO SE DISCUTE, SE CUMPRE. Todos pecamos contra Deus (Romanos 3:23). A justa punição por esse pecado é a morte (Romanos 6:23). Visto que todo o nosso pecado é, em última instância, contra Deus (Salmo 51:4), e já que Deus é um Ser infinito e eterno, a punição pelo pecado, ou seja, a morte, também deve ser infinita e eterna. O inferno é esta morte infinita e eterna que ganhamos por causa do nosso pecado.A punição dos ímpios no inferno é tão duradoura quanto a felicidade dos justos no céu. O próprio Jesus indica que a punição no inferno é tão eterna quanto a vida no céu (Mateus 25:46). Os ímpios estão sempre sujeitos à fúria e à ira de Deus. Aqueles que estão no inferno saberão que o seu castigo é justo e que são de fato culpados (Deuteronômio 32:3-5). Sim, o inferno é real, louve a Deus que, por meio de Jesus, podemos escapar deste destino eterno (João 3:16, 18, 36). A doutrina espírita até pode parecer bela, cheia de bondade e caridade, mas vai contra a palavra de Deus, não se esqueça que o pai da mentira foi o anjo mais belo do céu, e tudo que modifica a palavra de Deus, principalmente, a consulta aos mortos, ou seja, necromancia, provém dele.

Fábio Cezar disse...

OK. O Espiritismo não quer convencer você nem ninguém de nada. Siga sua fé e sua crença praticando o Amor de Jesus.

FLP disse...

Tranquilo, tenho eh pena de vc, sabendo q condenação há a aqueles que propagam ideologias que afastam as pessoas de Deus movidas pela curiosidade. Creio que se sinta bem nessa filosofia, senão não a defenderia tanto como eu defendo a Bíblia, é o livre arbitrio, porém as escolhas que fazemos hoje, serão julgadas com a eternidade conforme te relatei com a palavra de Deus. Vai de vc se da ou não crédito a aquilo que te falei, pois tá na palavra, que o braço do Senhor o alcançará (Is. 53) seria honesto se procurasse se esclarecer. Com certeza tento seguir os passos de Jesus, e isto que conversamos se chama de levar o Seu evangelho à toda criatura, proclamar a verdade a fim de retirar da escuridão e da cegueira eapiritual. Deus te abençoe.