sexta-feira, 5 de junho de 2009
HOMEM-CÉLULA

Homem! célula ainda escravizada
Nos turbilhões das lutas cognitivas,
Egressa do arsenal de forças vivas
Que chamamos – estática do Nada.

Sob transformações consecutivas,
Vem dessa Origem indeterminada,
Onde se oculta a luz indecifrada
Dos princípios das luzes coletivas.

Vem através do Todo de elementos,
Em sucessivos aperfeiçoamentos,
Objetivando a Personalidade,

Até achar a Perfeição profunda
E indivisível, pura, e se confunda,
No transcendentalismo da Unidade.

Augusto dos Anjos (espírito)
Pelo médium Francisco C. Xavier
In: Parnaso de Além-Túmulo

2 comentários:

Nilton disse...

Maravilhoso!

Fábio Cezar disse...

Yvonne Pereira nos afirma que a literatura de além-túmulo ajuda na reabilitação moral de escritores cuja obra literária em vida tenha tido uma “feição ociosa ou nociva”. Acho que aqui, todo o característico pessimismo e morbidez do Augusto foi transformado pelo conhecimento da realidade espiritual pós-morte, sem, no entanto, anular sua personalidade e estilo.